Câncer de tireoide - Marcia Jeronimo

quinta-feira, 26 de maio de 2016

35 Alimentos para a dieta antes da iodoterapia

                                                         
 
                                               Observo que existem muitas dúvidas a respeito de quem vai ser submetido à iodoterapia e precisa fazer uma dieta nas semanas que antecedem o procedimento.  Naveguei por alguns sites e resolvi deixar aqui nesse post alguns alimentos que podem ser consumidos.
                                                Antes de mais nada, gostaria de esclarecer sobre o sal sem iodo.  Li em alguns grupos de pacientes que se submeteram a cirurgias de tireoide, ou que tiveram alguma enfermidade nessa glândula, que é um pouco confuso o tema e  muitos pacientes não conversam com seus médicos para dirimir  todas as dúvidas.  Converso muito com meus médicos (cirurgião e endocrinologista) e então posso passar aqui algumas dicas: A primeira coisa é  a polêmica sobre sal não iodado.
                                                O excesso de iodo e a falta dele podem provocar doenças na tireoide ou agravar os já existentes.  Se fizermos uso do sal sem iodo apenas pelo período pré exame, tudo bem. Não vai causar danos à saúde.
                                               A dúvida de muitas pessoas é sobre o tipo de sal que devemos usar para nos preparar  verdade é que o sal não pode ter nenhuma quantidade de iodo. Muita gente acha que os diversos tipos de sal como o do Himalaia, sal light, sal negro e outros diversos tipos, podem ser usados nessa dieta especial. Não convém, porque a maioria possui iodo, mesmo que em quantidades mínimas. O sal do Himalaia importado até pode não conter ,como já me informaram, mas não é garantido. Qual a vantagem em pagar um valor bem alto nesses produtos que não vão ajudar? Com certeza, é bem melhor pedir para fazer  o sal nessas farmácias de manipulação.
                                                O sal de cozinha na verdade é  cloreto de sódio( o que salga) mais iodeto de potássio ( a parte proibida na nossa dieta específica, mas que é obrigatório uma certa quantidade para nossa saúde) e mais o dióxido de silício que evita aquele empedramento. Então: Não é  tão difícil de encontrar uma farmácia de manipulação em seu bairro.  Vai ser praticamente o cloreto de sódio puro o que vai  consumir.  Em alguns lugares é mais fácil de encontrar. Fiz uma pesquisa e encontrei esses endereços:
                                                - B. Herzog  Rua Miguel Couto 131 RJ  Tel. 2233 7060
                                                - Quimi Center  Rua Itapira 1164  Jardim Paulista-  Ribeirão Preto - SP
                                                -  site  www.adrialaboratorios.com.br
                                                 Os preços variam muito de estado para estado. Aqui no RJ custa 10 reais o kg, mas já ouvi falar que pagaram cerca de 100 reais em outros estados.  Agora vou colocar uma listinha de alimentos que podemos consumir nessa dieta restrita de iodo.
 
                                                  Alimentos permitidos na  dieta:
Peixes de água doce: Corvina, lambari, pintado, truta, tilápia, tucunaré, traíra, dourado
Leite : apenas em pó e desnatado
Manteiga ou margarina sem sal ( eu misturei um pouco do sal sem iodo e ficou bom)
Carnes frescas de vaca, aves, porco
Clara de ovo, temperos sem sal, óleo (soja não), azeite e vinagre
frutas frescas, sucos de frutas naturais (nada de caixinha ou  outros industrializados. Faça o seu)
Nozes, castanhas e outras frutas secas sem sal, por favor
Alface, batata sem casca, tomate*, beterraba, brócolis*, cebola, cenoura, cogumelo fresco, couve*, ervilhas*, espinafre, , nabo, pepino, vagem,
Pão francês*, bolacha integral ou cream cracker*, massas simples* com molho de tomate feito em casa*
Arroz, feijão, milho, aveia, cevada
Açúcar, adoçante, mel, geleia caseira, balas e gelatinas ( nada de cor vermelha)
doces de frutas caseiros
Café coado (nada de solúvel), refrigerantes tipo "cola"*
 
* Os itens assinalados nem sempre são permitidos em alguns casos. Variam muito de cínica para clínica. Alguns médicos não permitem absolutamente nada de ingestão de folhas verdes escuras e  alimentos de cor vermelha como tomate. Pelo sim pelo não, eu particularmente reduzi drasticamente meus verdinhos mesmo permitidos e não consumi  tomates. O pãozinho francês é liberado  em alguns casos, mas com moderação. Refrigerantes não ajudam em nada. Eu já tinha abolido da minha vida, então aconselho a fazer suco de frutas frescas.
 
                                                 Outras  orientações:
                                             
                                              Além da alimentação,  devemos evitar também base, esmalte, bronzeador, tintura para cabelo, cosméticos com cor,  (hidratante, protetor labial, e protetor solar sem cor podem),  banho de mar. 
                                                Como o corante vermelho ( que tem iodo na fabricação) é o mais comum usado na indústria , devemos ficar de olho, ler os rótulos e  evitar durante o período solicitado.
 
                                             Concordo com um  médico que costuma dizer que  a palavra "proibição" é muito radical.  O melhor termo a ser usado é  "evitar ao máximo" certos alimentos ricos em iodo. Temos que ter consciência que  devemos ajudar o nosso corpo para o tratamento dar certo.,  então não vamos confundir nosso organismo. E também seria impossível reduzir a zero iodo o que  vamos consumir. Quanto menos iodo ingerirmos , melhores chances o iodo radioativo tem para atuar nas células malignas e destruí-las. Depois, vida normal.
                                                Bem, nessa postagem eu resumi algumas informações que obtive com meus médicos e acrescentei informações de outros profissionais, mas de qualquer forma o que é prescrito para uma pessoa pode ser diferente para outra, então, se tiver a oportunidade de esclarecer suas dúvidas com seu médicos seria o ideal. Até o tempo para cada dieta pré iodoterapia é diferente. Cada um deve saber o que é melhor para si. Aproveitar esses alimentos permitidos e fazer cardápios adequados  para ter uma alimentação mais perto do ideal pelo menos nesse período. Eu já fazia antes e agora não pretendo mais parar. Meu lema é : Ingerir 80% de coisas saudáveis e distribuir os 20% restantes de guloseimas  em dias especiais, mas com moderação é claro!
                                               
                                                 
                                                 
 
 
                                               
                                                 

sexta-feira, 20 de maio de 2016

34- Monitoramento

                                                        

 
                                                     Aguardei todo esse tempo pós cirurgia e iodoradioterapia  para  retornar aos meus respectivos médicos para  enfim saber como vai ser minha vida daqui em diante. Primeiro o Dr Ricardo, meu querido cirurgião: Cheguei ao consultório menos ansiosa do que a última vez. Mostrei meus exames de sangue e cintilografias feitas antes de depois do iodo.
                                                      Quanto aos exames de sangue ele olhou, analisou e  murmurou o quanto eu devia ter ficado mal, naquela época que estava sem hormônios aguardando o  famigerado iodo. Ele viu, através dos números  a minha transformação em "zumbi" rs. Realmente ele estava certo, mas pelo menos só fiquei muito ruim na última semana em que eu nem conseguia abrir os olhos.
                                                      As cintilografias mostravam que ainda restavam dois focos com captação de iodo. O veneninho estava  fazendo efeito ainda , então  agora vou ter que fazer novamente daqui uns meses e duas vezes por ano  inicialmente  a pesquisa de corpo inteiro para saber a quantas andam essas células sem vergonha.
                                                       A cicatriz vai bem, obrigada, super  discreta e sendo massageada com muito carinho duas vezes por dia, por orientação do meu cirurgião.
                                                       Agora a vez da  endocrinologista: Apenas dois dias depois do Dr Ricardo fui me consultar com a Dra. Helena para mostrar os exames e  saber como vou lidar com os hormônios futuramente.
                                                        Primeiro ela verificou meu peso e isso foi a melhor parte. Perdi meio quilo rs. ( mesmo não precisando perder nada, adoro saber que perdi peso). Agora estou com 61 kg.  A pressão sanguínea também foi verificada e como sempre, 11 x 7 , muito boa.   Minha médica explicou que terei que fazer exames de sangue trimestralmente para controlar meu TSH, que é um hormônio produzido pela hipófise que estimula a tireoide. Como não tenho mais  essa glândula, porque fui submetida a tireoidectomia  total (carinhosamente conhecida por TT), eu não preciso que esse hormônio estimule coisa nenhuma. Meu organismo tem que manter os níveis o  mais baixo possível porque se houver qualquer resíduo de tireoide passeando pelo meu corpinho, pode ser estimulado e desanda tudo. Então sem estímulos tá bom TSH?
                                                      A notícia boa depois das conversas com meus médicos é que estou bem, tudo está sob controle e estou apta para retomar minhas atividades. O chato é saber que não existem garantias de nada. Nos primeiros  cinco anos o câncer pode atacar novamente, até depois disso,  mas  eu nem sei o que vai ser de mim amanhã, imagina se vou viver à sombra desse fantasma!  Terei mais cautela, continuarei com minha vida saudável e vou tentar não deixar que isso me tire o sono. Voltarei para terapia com assuntos extras e tenho certeza que existem muitas estradas lindas me esperando para percorrer. 
                                                       A única coisa que tenho que incorporar na rotina é o remedinho que tenho que tomar pela manhã todos os dias para o resto da vida, mas ainda me considero no lucro, não é mesmo?
                                                        Por hoje é isso. Até breve! Continuarei por aqui!
                                                       

segunda-feira, 9 de maio de 2016

33 - Dia das mães

                                                             

                                                                  Para quem atravessa uma data como essa,  depois que recebe um diagnóstico de câncer, por mais que antes dissessem  que o dia das mães são todos os dias, esse dia nunca será como todos os outros, não para mim pelo menos.
                                                                  Acredito que para quem é mãe, e para quem tem mãe com essa doença, qualquer definição muda de figura. Parece que a maternidade ganha uma conotação nunca antes imaginada. Passa da categoria de "dia especial" para  "dia emocional", com todas os sentimentos emaranhados que hormônio nenhum pode descrever depois do câncer.
                                                                 Tudo fica tão fora da realidade de um dia normal de comemoração, tudo fica tão mais emotivo e profundo que não sou capaz de explicar com palavras.
                                                                Ver nossos filhos ao nosso lado não é mais como antes. Multiplique à milésima potência e mesmo assim não saberemos a intensidade do amor que já era era tão grande. Agora o amor se mistura com receio, sentimentos estranhos e até pouco tempo inimagináveis.  Para os filhos então.... fica no ar aquela sensação de " será que vai ficar tudo bem"? Mas vai sim. Sempre fica tudo bem.
                                                                Nosso amor está além de qualquer coisa. Está além da capacidade de qualquer explicação, simplesmente porque é inexplicável.
                                                                 Mamães borboletas, fiquem na paz, alcancem seus voos porque temos um caminho difícil a seguir.
                                                                  FELIZ DIA DAS MÃES!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

32 - Test Drive

                                                             


 
                                                                  Recebi uma ligação da secretrária da minha endocrinologista me informando que a consulta foi adiada. Pôxa....fiquei meio assim.....chateada porque meu cirurgião também não vai poder me atender essa semana. Fui marcada para o dia 20 de maio e ela remarcou para o dia 17. Estou com os exames na mão,  e não quero mais me consultar com Dr Google porque ele não é muito preciso em seus diagnósticos rs. Vou ficar sem saber por um tempo ainda minhas condições físicas atuais. Aproveitando esse intervalo saí para colocar minha vida burocrática em ordem, e tudo longe de casa, para fazer um test drive. Foi proveitoso. Fui para o banco em Madureira para pegar umas documentações que estavam  pendentes há algum tempo, depois  ao cartório em Jacarepaguá  dar entrada na segunda via da certidão de casamento averbada com divórcio para levar para a Itália, e tudo isso de metro, trem e BRT. Quando mudei de Jacarepaguá não tinha esse sistema de ônibus e então, por falta de experiência me enrolei toda e paguei muito mico. Eu não sabia nem  onde ficavam as plataformas de trem que raramente eu usava, para onde iam, de onde vinham  rsrsrs, mas gostei de sair por aí fora da minha atual zona de conforto.
                                                                  A primeira parada foi no banco. Eu já tinha trocado emails com a gerente e agendado para pegar o tal documento. Cheguei um pouco cedo e fiquei numa fila formada do lado de fora, na rua. Às dez horas entramos e passamos aos poucos na porta de segurança que travava todo mundo. Fiquei receosa porque já haviam me avisado que corria o risco de ser travada por causa da minima radiação que meu corpo ainda vai liberar por alguns meses , mas isso não aconteceu. O que me emperrou mesmo foi o bendito guarda chuva. Fiquei mais uns dez minutos dentro do banco, na fila para pegar número de acordo com o lugar que eu ia. Quando chegou minha vez o senhor que me atendeu perguntou o que eu ia fazer e eu respondi que ia pegar um documento com a gerente fulana. Ele me olhou, de modo irônico e sinalizou o elevador , que eu deveria ir até o quarto andar e pedir para chamá-la, e, é claro, não precisava de número. Que lindo! dez minutos na fila para isso. Agradeci a ele e também agradeci a mim mesma por estar tomando hormônios e eles estavam funcionando tão bem que nem deu vontade de matar ninguém ! Subi e pedi para chamar a moça, que para variar estava de folga. Uma outra gerente penalizada com minha história triste, de recem operada de câncer, recém submetida a uma  #iodoterapiabarrapesada,  e mais bá bá blá.... e ela, querendo se livrar logo de mim, começou a fazer uma busca na mesa da colega e me deixou sentadinha aguardando. Claro que não achou nada, mas não desistiu. Pediu ajuda "aos universitários" de após duas horas apareceu com ar vitorioso e os documentos.
                                                                   Agradeci, muito sorridente ( cheia de hormônios no corpo), super zen , e parti para Jacarepaguá. Quando cheguei no cartório a funcionária super divertida perguntou sobre a data que havia me casado com o ex para ver no sistema. Olhei para ela com aquela cara de  "Ih... lascou"! Ela foi logo falando: - Não vem com essa cara não... não me diga que não lembra a data do casamento? Eu respondi: - pior que não! Ela disse: Pelo menos o nome do ex você lembra né? Falei que sim, e rapidamente ela achou os registros e dei entrada no documento.  Não demorou nada. Estava vazio e até estranhei. Peguei o protocolo e fui informada que ficará pronto em cinco dias.  Na volta peguei novamente o ônibus expresso e depois  embarquei no trem. Estava cansada e estava em pé. Cada cutucão que eu levava dos ambulantes que buscavam espaço para vender suas bugingangas, nem sei como não cheguei roxa em casa. Eram balas, massageadores corporais de 1,99 (como assim?), livrinhos para ativar a mémória (que o vendedor jurava que não eram caça palavras ) um homem pregando, o outro debatendo a pregação.... tudo muito interessante. Me senti uma ET.
                                                                  Desci do trem, peguei meu bom e velho metro, que já estou bem acostumada e cheguei em casa. Cansei, mas passei no teste. Me senti independente, resolvendo minha vida sozinha. Dei valor a tudo. Dei valor ao burburinho do trem, dei mais valor  para aquelas pessoas que batalham no seu dia a dia, aos que travam suas lutas diárias com sorriso no rosto e ninguém sabe o que se passa em seu interior, dei valor à minha tireoide que tanto  faz falta, apesar de estar me virando bem sem ela. Agradeci a Deus por tudo.
                                                               

domingo, 1 de maio de 2016

31 - A semana

                                                              
                                                                                  
                                                         Faz sete dias que estou tomando meu remedinho milagroso   chamado Euthyrox 100 mg (hormônio artificial, já que não possuo mais a fábrica natural chamada tireoide),  e estou me sentindo aquela Marcia de sempre. Fico impressionada a cada dia com a medicina. Parece que nada aconteceu comigo.  Estou animada, não sinto nada, durmo bem, vou seguindo minha vida como antes.
                                                        Na sexta feira  fui ao Centro de medicina nuclear São Carlos para pegar o resultado da minha  PCI  ( pesquisa de corpo inteiro), para saber se existem resíduos de células cancerosas no meu corpo  e amanhã pego os resultados dos exames de sangue. Não sei  interpretar  o que está escrito, mas também não vou me empenhar nisso. Vou esperar o médico dizer.  Estou me sentindo tão leve, tão bem...... Meu vizinho ontem me surpreendeu com um mimo. Bateu na minha porta com um potinho contendo um mocotó cheirosíssimo!! Adoooooooro e ele sabe disso. Um bom amigo me agradando. Estou ficando mal acostumada com os mimos rs.
                                                         Hoje peguei a Milly (minha cachorrinha idosa) e fomos passear. Respiramos um ar fresco, tão gostoso, com outro "cheiro". Caminhamos devagar, aproveitando cada passo, cada minuto, olhando as pessoas, o balanço das árvores ao vento, as folhas caindo, o frescor,  a vida em cada cantinho, em cada mesa de bar à beira da calçada. Às oito horas da manhã , um grupo de rapazes  sentados  à mesa, bebendo, com meia dúzia de garrafas de cerveja em cima, conversando sobre a noite anterior, em outra mesa, dois casais degustando whisky e aperitivos, enquanto outros tomavam o café  da manhã no balcão. Muitas histórias diferentes, muitas pessoas diferentes e eu e Milly caminhando  em meio a toda essa energia.
                                                      Como é bom poder saber que a vida continua e você também. Todos os dias é um recomeço, um aprendizado.
                                                       Chegamos em casa, comi uma fruta e minha companheira foi dormir para variar. Recebi minha mensagem matinal  de minha irmã para saber como passei a noite, respondi que muito bem. Depois recebi uma ligação de um ex chefe de trabalho para saber como ando. Fiquei feliz! O sol entrou um pouco na minha sala e aproveitei para tirar proveito da vitamina D, deitando no sofá de modo que meus braços absorvessem esse presente  quentinho da natureza. Lembrei que deveria tomar essa vitamina em cápsula também e logo o fiz.
                                                       Assim vou vivendo um dia de cada vez, aguardando o próximo capítulo da minha novela predileta. A novela da minha vida.
                                  

quinta-feira, 28 de abril de 2016

30 - Voltando a normalidade

                                                      

                                                 A partir dessa trigésima postagem, não vou publicar mais diariamente. Vou fazer a manutenção do blog pelo menos uma vez por semana. Todo passo a passo já foi  escrito para vocês e agora  que estou voltando ao normal, não tenho muitos  "causos" para contar rs, no máximo o resultado da Pesquisa de Corpo Inteiro e dos exames complementares. Na ´semana que vem levo tudo para meus médicos e daí em diante será acompanhamento de três em três meses.
                                                 Essa experiência de escrever blog foi além do esperado. Ajudei algumas pessoas a sorrir mais, outras se emocionaram e algumas se apavoraram com o meu jeito nada convencional de ser. Tudo valeu. fiquei feliz por começar tão despretensiosamente e alcançar a marcar de duas mil e setecentas visualizações nesses trinta dias corridos.
                                                  Eu havia lido uma matéria sobre a "blog terapia", que meu namorado me mandou da Itália.  Foi um texto escrito por psicólogos italianos e muito coerente. Explica que quando você assume o câncer, coloca a cara de verdade, fica muito mais fácil lidar com ele. O fato de escrever sobre o assunto te liberta das amarras e faz com que coloque tudo para fora, uma verdadeira terapia que ajuda ao doente e a outras pessoas que o seguem.
                                                  Me senti assim, livre, assumida, feliz por ajudar e ser ajudada.  Foi um divisor de águas na minha vida. Se eu era uma pessoa positiva, cheia de esperanças, agora sou mais ainda. Não sabemos porque certas coisas nos  acontecem , mas quando elas acontecem e servem para uma experiência positiva, é sempre válido.  Deus trabalha de várias maneiras. Como eu sempre disse, antes  de ter esse diagnóstico tenebroso, eu já tentava ser uma pessoa melhor a cada dia e continuarei tentando ser  cada vez mais  mais tolerante,  menos questionadora sobre as atitudes do semelhante. Todo mundo tem  seus problemas, não podemos apontar o dedo nem julgar. 
                                                Não estou dizendo com tudo isso que estou me candidatando ao cargo de Madre Tereza de |Calcutá,  nem poderia. Não sou hipócrita, sou apenas um ser humano querendo melhorar um pouco mais a cada dia.
                                                 Espero nos encontrar em breve, mesmo que seja para falar da minha vida pós câncer. Acho que terão curiosidade de saber o que ando fazendo, como estou fazendo e onde. Não prometo contar tudo rsrsrs , todos nós precisamos  nos envolver em um certo mistério,  mas o que for legal vou relatando.
                                                  Quero que tirem um dia da semana para buscar aqui minhas novidades tá? Vocês leem muito o blog mas não interagem como eu gostaria. Estou à disposição para responder perguntas que por ventura tenham a fazer, Sou uma pessoa acessível e gosto muito de uma boa conversa fiada, como já notaram rs.
                                                  Volto em breve! Não me abandonem porque não vou abandonar o blog, só vou dar uma espaçada nas postagens.  Beijo grande e até logo!!!

quarta-feira, 27 de abril de 2016

29 - abastecendo.....

                                                    




                                                          Segundo dia que tomo meu remédio para normalizar minha vida. Não posso dizer que a diferença está sendo gritante, mas sinto que já estou 5% melhor em relação a ontem e isso é muita coisa.
                                                          Acabou que não vi filme nenhum, documentário nenhum ontem. Fiquei dormindo mais do que a cama e foi a decisão mais acertada. Hoje "Jessica"  não se manifestou. Acredito que ela tenha ido resolver as coisas dela e não volte tão cedo, ou melhor, nunca mais.
                                                          De volta aos planos! Tenho muita coisa na cabeça, muita coisa para resolver mas preciso de força física que já está retornando aos poucos. O meu tanque de combustível está enchendo bem devagar e em duas semanas estará completo. Enquanto isso não paro de planejar minha vida. Já disse em outra postagem que planejar é fundamental.
                                                         Já pesquisei com Danilo sobre a viabilidade de meu medicamento na Itália e tudo ok.  Tem o mesmo remédio lá, mesmo nome, dosagens e o preço é a metade.  Fiquei um pouco mais tranquila. Em Roma tem hospitais que podem me atender. Não é essa Brastemp toda como os brasileiros dizem, mas ainda é melhor do que alguns lugares daqui. Resolvi manter meu plano de saúde porque nas minhas idas e vindas  pela terrinha me sentirei mais segura em procurar meus médicos.
                                                           A falta de concentração ainda é grande, por isso parei de estudar a língua italiana.(faço isso em casa mesmo  com meus livros. Sou autodidata) . Por enquanto, me limito  a corrigir algumas coisas que Danilo fala em português. Me divirto com ele. Fala muito bem a minha língua mas às vezes insiste em certas palavras que  não encaixam no contexto. Peço para ele me corrigir também e assim vamos aprendendo juntos.
                                                          Ainda não me sinto em condições de ler muito porque exige além da concentração que já falei, também a visão que está voltando ao normal aos poucos. Falta de foco, esquecimento... tudo isso prejudica, inclusive minhas postagens que hoje vai ficando por aqui. Vou escrever menos. Escrever pela manhã é melhor porque a carga está um pouco maior, mas dura pouco. Preciso usar essa energia que está voltando para fazer outras coisas, aos poucos, porque dormir é bom, mas não tenho esse hábito normalmente. Dormir para mim só a noite mesmo. Então.....até amanhã! Beijinhos!
                                                           

terça-feira, 26 de abril de 2016

28 - Virada no Samurai

                                                               



                                                                 Hoje acordei louca para dar voadoras em quem me chamar de bonita. Estou sem controle dos meus atos. A lerdeza que toma conta de mim se aliou a uma raiva, que não sei de onde vem. Iniciei o medicamento hoje. Estou tomando Euthyrox 100  e achei que começaria amenizar esse cocktail de sentimentos confusos assim que batesse no estômago. - Coisa nenhuma! Isso vai demorar e já vi que tenho que me trancar em casa para não magoar ninguém. Sei dos meus limites e não quero ser injusta. Não sou eu quem  habita  meu corpo;  É "Jessica" que atualmente mora nele  e ela não é nem um pouco legal.
                                                                 Agora entendo o filme "O médico e o monstro". Entendo um pouco mais os pobre bipolares e suas vítimas. Coitados de todos. Que bom que moro sozinha. Prefiro passar por essa etapa sem ninguém ao meu lado.
                                                                  Recebo vários vídeos pelo telefone  e não abro. Mensagens animadoras, de fé, esperança etc.... beleza! Em outras ocasiões eu acharia fofa a intenção de quem manda, mas nesse momento a única vontade que tenho quando o barulho do zap irritante grita dentro da minha mente, é a de atirar o celular do décimo andar. Nunca fui assim, mas que horror!
                                                                   Sorte minha tudo isso não se apresentar unidos de dores de cabeça, corpo, coceiras, ânsias etc.... então quem ia lá para baixo  seria euzinha mesma (mentira eu jogaria Jessica) , mas como separar de mim? rs  . Nem posso exagerar muito nisso se não uns amigos obcecados religiosos sem discernimento do que   é  sarcasmo vão me detonar e aí que vou perder "amigos".
                                                                   O que ver na TV nesses momentos? agorinha estava ouvindo Adele cantando Hello e me vi em lágrimas. Eu hein! já ouvi tanto essa música que já me encheu, mas hoje...... foi esquisito..... Vou procurar uma comédia dessas bem idiotas, sem ser romântica para eu tentar rir. Caraca tá sinistro essa mudança de personalidade. Nem me olho no espelho para não discutir comigo.
                                                                   Minha cachorrinha está bem quietinha no canto dela, só me olhando de banda porque ela sabe que não estou boa..... Nunca agrediria minha bonitinha e nunca deixaria Jessica fazer. Só estou completamente estranha mesmo.
                                                                   Passa logo tempo, passa logo, traz de volta meu sorriso, minha calma, minha coerência! Sei que vai passar, então vou voltar para minha toca e assistir Dia de Fúria com Michel Douglas.  Palhaçada! Vou assistir um  documentário sobre o parto de uma baleia.  Beijos e até amanhã!
                                                                 

segunda-feira, 25 de abril de 2016

27 - Corpo espacial

                                                  


                                              Fica até difícil escrever  com essa sensação de  alma fora do corpo rs. Que coisa mais esquisita. Estou literalmente em slow motion. Não vejo a hora disso tudo acabar porque estou ficando sem meu humor habitual, meus olhos estão meio fechadinhos e levantar do sofá para a sala me requer habilidades de maratonista.
                                               Estou tão chata..... entediada e imaginando como existem pessoas que vivem assim o tempo todo mesmo com a saúde perfeita. Tão injusto ver pessoas em seu dia a dia com humor de cão, tratando mal ao semelhante a troco de nada e com sua glândula tireoide lá , tão bonitinha, tão perfeitinha..... ah....dá para mim se é seu caso e não está fazendo uso dela!
                                               Minha irmã , que passou o final de semana aqui comigo sabe como estou me sentindo e respeita muito. Ela sabe que não é proposital e se estou mais fechada e dormindo de dia quase o tempo todo é um problema passageiro.  Mesmo sabendo disso ela está sentada ao meu lado no sofá quietinha mas mandando mensagem de zap nesses moldes:  " Não fala nada. Quebrei mais uma taça!". Nem olho para o lado, nem tenho reação e só penso uma coisa: essas taças que ela quebra a cada louça que lava estão reservadas para ela  mesma em um futuro próximo. Vou para a Itália  em alguns meses e terei que me desfazer de minhas coisas. Ela simplesmente está acabando com seu próprio patrimônio. Falo nada, só fico gargalhando por dentro com a fachada séria kkkkkkkk. Fico com pena quando ela leva Milly na rua para os passeios porque ela necessita às vezes coloca-la no colo e é bastante doloroso. Mônica, devido a dois tombos no passado,  ficou com o o cóccix flutuante, pinçando o nervo coitada..... toda escangalhada mas não reclama de nada. Não vejo a hora de compensar tudo isso que ela faz por mim, a carregando comigo para passar uns dias de suas férias na Itália.
                                             Por falar nisso vou começar a ver com meu namorado sobre os hospitais de lá  para eu saber como é o controle da minha  doença. No Início  virei ao Brasil para isso, depois vou tratar por lá mesmo. Enquanto isso vou meditando, exercitando o cérebro porque atualmente é a única parte de corpo que aceita algum tipo de atividade.  Está ficando restrita a leitura por causa da visão fraca e  desfocada. Falar pelos cotovelos já me cansa bastante, então o que me resta é pensar.
                                              Viajo nas lembranças das minhas netas brincando, dos momentos maravilhosos com Danilo, na parceria com Mônica , nas pequenas coisas que sempre valorizei como  conversar com minha cachorrinha, dançar para ela, com ela, sair mesmo sozinha, beber meu vinho tinto, saudades de sentir sabor da comida, o cheiro das frutas, tudo isso que agora anda tão escasso nessa etapa  ....
                                               Voltem para mim hormônios! Tragam de volta a Marcia que se encontra encapsulada dentro do meu corpo!
                                               Com tudo isso não me sinto triste nem infeliz, uma coisa que conta muito. Estou esperançosa de ficar boa logo para dar continuidade a minha vida, mesmo  sendo diferente de agora em diante, dependendo de um medicamento que vou ter que tomar para sempre e para minha sobrevivência, mesmo tendo que ser monitorada de três em três meses para saber se o câncer apareceu em outro lugar no meu corpo. E daí? Estou mutilada de um órgão super importante mas estou inteira nas minhas convicções de ser feliz! Tente também !
                                              
                                                 
                                                  
                                                 
                                                  

domingo, 24 de abril de 2016

26 - O Rastreamento

                                        

                                                        Eu estava tão zureta com a falta de hormônios que até esqueci do dia do exame da pesquisa de corpo inteiro (PCI) para saber  se restaram células  malignas  ou se tenho metastase em outra parte do corpo. Nem quero pensar nisso agora...
                   Estou super confusa.   Feriado com    sábado,      segunda , tudo musturado na minha cabeça  via duas luas, me sentia como  um zumbi sem direção. Não necessariamente me sentindo mal, mas  totalmente fora de órbita e super estranha.
                                                        Mônica chegou no feriado à noite para dormir e me acompanhar  no dia seguinte e eu olhando para a cara dela meio lerda não entendendo nada. Ué? amanhã? seria trágico se não fosse cômico
                                                        Como de costume  começamos a conversar e eu pedi a ela que desacelerasse porque não estava em condições de processar nada. estava em "alfa". Logo fomos dormir mais cedo porque acordaríamos às 0600h .  O dia amanheceu, Mônica aplicou a dose de insulina na minha cachorrinha diabética , tomamos um café leve e nos mandamos. Eu na minha lerdeza infinita e ela diminuindo o passo para me acompanhar.
                                                         Chegamos na Clínica um pouco mais cedo e ficamos papeando aguardando a hora do exame. Estava tudo certo, não precisei de contraste porque já estava colorida internamente o suficiente pelo resquício do iodo 131.  Antes da hora fui chamada e encaminhada para o primeiro andar, onde entrei sozinha na sala do procedimento. Mandaram eu ir ao banheiro para esvaziar a bexiga e depois  Deitar. Colocaram uma espécie de cinto de contenção  nos meus braços ( me senti uma prisioneira de guerra), e o médico disse para eu me tranquilizar, que eu não poderia me mexer, mas podia engolir e respirar durante o exame. Agradeci muito por ser permitido respirar por quase uma hora kkkkkkk
                                                       Iniciado o exame, fechei os olhos e fiquei imóvel pensando mil besteiras, como por exemplo num relato de uma menina que não pode fazer porque estava com excesso de gases. Fiquei rindo para dentro imaginando como seria se eu quisesse liberar gases? será que daria para ver? será que mostraria purpurinado?   AR FLUORESCENTE SAINDO! PERIGO! PERIGO! EVACUEM O LOCAL!  Só penso besteiras, mas ali naquele momento ou era isso ou era querer coçar o nariz sem poder.  Optei por viajar  na maionese já que não ia ser tão rápido.
                                                       Eu me enganei. Fiquei de olhos fechados o tempo todo e achei que se resolvesse abrir eu ia perceber o confinamento, mas que nada, quando percebi já estava com a máquina nos pés. Novamente imaginando... será que tem alguma coisa embaixo de uma unha encravada?  Meus pensamentos ridículos foram interrompidos quando o medico disse que tinha acabado. Foi mais rápido do que pensei. Um alívio!
                                                      Fiquei de voltar no dia 29 de abril para pegar o resultado e já poderei começar a tomar meu remedinho diário para colocar "a casa em ordem" assim que fizer uns exames de sangue   em três dias. Agora as coisas vão voltar ao normal com a graça de Deus!
                                                      Fomos para casa.  Caminhamos pela orla  bem devagar para que eu sentisse o cheiro do mar, o cheiro da natureza, o cheiro da vida!
                                                      Mônica fez um almoço incrível de lamber os beiços, e após comer, ficamos largadas na sala no sofá cama falando bobagens, falando do futuro e  planejando .......
                                                        

sábado, 23 de abril de 2016

25- Choque de ordem!

                                                            


                                                     Esse post em especial é voltado para os portadores do câncer de tireoide e suas familias.  São infindáveis dúvidas sobre essa doença e por vezes, ao ler blogs, páginas fechadas sobre o assunto, vejo que os pacientes e pessoas com quem convivem ainda tem dificuldades demais sobre o assunto e muitos médicos não tem a sensibilidade de conversar a respeito. Ainda bem que isso não aconteceu comigo, mas as reclamações são imensas.
                                                      O que ocorre? as pessoas ficam enlouquecidas fazendo consultas umas com as outras, como se fosse troca de receitas de bolos online e é assustador.  O que meu médico receitou para mim, as orientações, proibições  e permissões são para mim e ponto. E o que é para geral todo mundo sabe porque isso não é bagunça.
O que foi receitado para outro é para o outro.   Ok procurar  saber onde se acha sal sem iodo, como fazer aquela receita com os ingredientes permitidos, até aí vá lá, mas a pessoa dizer que vai passar a tomar a metade do remédio, que vai comer só um pouquinho de sal iodado, que vai fazer uma corridinha três dias após a cirurgia e pedir opinião  publica  já é demais.
                                                     Devemos ter responsabilidade sobre o nosso corpo, nossa saúde e isso depende muito mais de nossas atitudes do que dos médicos. Eles fazem a parte deles então, façamos a nossa.
                                                      A mãe que tem um bebê  e é obrigada a ficar no isolamento no hospital e depois ficar três dias longe das crianças em casa sabe que é uma tarefa difícil. Melhor deixar com a vó, sogra, pai, seja lá com que for até que o prazo seja cumprido, não é? Mas leio coisas como:  - Mas que mal tem? Meninas, o que acham? eu não consigo ficar longe dos meus filhos!  Gente "Pelamor"!!!!!  Se o médico diz não é porque está seguindo um protocolo rígido e isso é muito sério.  As meninas respondem ah, eu peguei logo meu filho, eu nem quero saber.... Nossa... para mim isso não é amor. É ignorância.
                                                     Alguns companheiros  mais fogosos acham que as suas respectivas devem assumir imediatamente o papel de escravas sexuais, com a desculpa da saudade. Se ele quer ficar com o bilau radioativo fazer o quê, depois não vai reclamar de infertilidade, impotência, e outras coisitas mais que possam ganhar de brinde  no futuro. Mas não se deixe cair nessa conversa porque vejo tanta auto estima lá no pé por falta de hormônios, ou mesmo por excesso de cobrança que tenho até pena. Explique para seu boy magia que ele corre riscos na  saúde  ou  se sentir mais segura troque logo  esse mala por uma caixa de chocolates e sossegue a periquita radioativa por um tempinho.
                                                      Por outro lado, parem de colocar tudo na conta do câncer. Tem muitos sintomas que para muitas vem junto   sim, mas pense bem, aí sozinha no seu isolamento forçado durante sua iodoterapia o quanto você tem sido intolerante, chatinha, mal humorada desde muito tempo. Não se aproveite da doença para afastar o maridão que está sempre a seu lado, ou seus filhos que você não tem muita paciência. Não use a doença para afastar as pessoas. Tente fazer com que se unam para te ajudar.
                                                       Em contra partida, é normal sentir medo, ansiedade, caimbras , cansaço, pés inchados, insônia, fraqueza, unhas e cabelos quebradiços. Sim, tudo isso pode acontecer para muitas e para outras esses sintomas  passarem batidos.  Ninguém tem obrigação de ser super mulher o tempo todo e também ninguém tem que se fazer de vítima e exigir pena de ninguém  se transformando na pessoa mais infeliz do mundo. As chances de cura estão aí, cada dia que passa a medicina fica mais moderna, mais acessível. Muita gente não tem tanta sorte como outras, mas vamos ser positivas, vamos nos cuidar. A vida é linda demais para a gente deixar passar. Segure as rédeas da sua , monte nela   e hiupiiiiiiiiiiiiiiiiiii    Vamos lá!
                                                       Ninguém falou que seria fácil.  Obrigada! De nada!
                                                    
                                                     
                                                       

sexta-feira, 22 de abril de 2016

24 - Algumas considerações

                                                  


                                                                   Enquanto vou aguardando, cada vez mais forte e sem sintomas desesperadores, o exame de pesquisa de corpo inteiro (PCI), para superar esse capítulo da minha vida,  vou passando para vocês algumas considerações.
                                                                   - Não, não vou ficar careca, pele queimada e perder quilos exagerados  por causa do tratamento de iodoterapia. Esse tratamento é forte, mas bem diferente da quimioterapia e radioterapia. Optei por cortar os cabelos muito antes de saber que estava doente. Para quem me conhece de verdade sabe que gosto de ser uma "camaleoa" na vida e na aparência. Nos últimos anos usei cabelos de diversos cortes, tipos, comprimentos,  texturas e ano passado resolvi que queria ficar com cara de "manga chupada" e pronto kkkkkkkk!
                                                                  - Não fico o tempo todo deitada tomando sopa, sendo ajudada para tomar banho, comer, e não tenho enfermeira nem acompanhante ao meu lado. Tenho visitas  (raras) e apenas no período de isolamento que tive mais restrições, mas durou pouco. Eu escrevo, canto, vejo muitos filmes, rio muito, observo muito e uma coisa legal foi me desligar um pouco de facebook. Amei isso! Posso melhorar e vou tentar.
                                                                    -  Vou ao mercado, farmácia, converso com vizinhos, só me limito ao tempo e não carrego peso porque estou com a reserva de hormônios baixa propositadamente até encerrar o tratamento, depois, vida que segue.
                                                                    -  Descobri que tenho mais fé  do que alguns conhecidos "obcecados religiosos", que se desesperaram mais do que eu, que indagaram  minha fé, que tentaram me dar aulas de comportamento Cristão  perante a doença, mas que mantem suas vidas pessoais vazias, tristes, infelizes, e o pior de tudo com problemas menores que o meu, acobertadas por uma falsa tranquilidade, uma "fé" para  "inglês ver" nas redes social  e eu consolando.  Foi notória a discrepância!!
                                                                    - Também confirmei as suspeitas de que as pessoas são mais estranhas do que eu supunha até então. Algumas  preconceituosas, ignorantes,  pensam que câncer pega no toque. (??????)
                                                                     - Interessantes pontos de vista, dietas recomendadas, médicos milagrosos, receitinhas para a garganta (????????) ,  revelações bombásticas  tipo:     -  "Eu também tenho tireoide"! quase pedindo para eu não espalhar a notícia.  ( Jesusssssss    todo    mundo tem né? ), a não ser que tenha sido  removida em cirurgia , nascemos com ela.  De repente descobri que muita gente teve um amigo ou conhecido que já tiveram  "a tal  da tireoide"  e ninguém morreu por isso. ( Nossa que ótimo!)  e eu mesma nem sabia do que se tratava direito das funções  dessa glândula até me depara com o câncer . Tenho um grupo  na internet e todos os dias  vejo casos  de sucesso e outros não, infelizmente.
                                                                     -  E enquanto vou aguardando, fico  avaliando, analisando, lendo sobre estudos médicos fundamentados para melhor entendimento. Vou me surpreendendo com tamanha ignorância de muitas pessoas. A sandice que mais ouço é aquela      máxima :  - Você  que malha, tem vida regrada, não come gorduras nem doces em excesso, dorme oito horas por dia, não toma antidepressivos nem remédios controlados teve câncer, então eu vou é continuar com meu cigarrinho, meu alcoolismo, vou encher a pança como se não houvesse amanhã, porque no final todo mundo morre! Gente! se tive foi por fatores  hereditários e se estou aqui bem, firme na rocha, primeiramente agradeço a Deus por permitir e depois  a minha  saúde   incrível que não me deixou cair e que  está me ajudando a levar tudo isso com os "pés nas costas"! Imagina se faço tudo isso com meu corpo, meu templo sagrado! Eu hein.... Terapia já para esse povo auto destrutivo!  
                                                                        Ler é muito bom. Ver vídeos e descobrir que até entre a classe médica existem discordâncias . Normal!
                                                                        Então, é o que temos para hoje. Ontem a manicure fez minhas unhas aqui em casa, eu mesma fiz uma escovinha moderna  nos meus cabelos, que apesar de quebradiços continuam aqui firmes e mais ou menos fortes e ralos como sempre foram. Nada mudou quanto a isso.
                                                                 
                                           
                                                                   

quinta-feira, 21 de abril de 2016

23 - Dedicado a Mônica

                                                            


                                                     Nesse post eu queria falar da minha relação de amor, fraternidade e cumplicidade com minha irmã. Mônica  é cinco anos mais nova que eu e como já disse é psicóloga atuante. Trabalha muito, faz seus cursos, meditação, cuida de marido, filho, mora distante de mim, mas é a pessoa que está ao meu lado a todo momento que preciso. Ela é incansável, inabalável, me passa tranquilidade, carinho, segurança e tudo mais que um ser humano necessita para se sentir acolhido em um momento tão difícil da vida. A profissão ajuda, é claro, mas no nosso caso, o sangue que nos une está acima de qualquer outra coisa.
                                                     Meu raio de luz também tem problemas de saúde e não são fáceis. Muito pelo contrário. Ela não fala quase sobre isso. Toma seus remédios, tenta superar suas dores de cabeça infindáveis por um motivo bem grave que ela quase não comenta,  e vai a luta. Como eu admiro essa mulher que consegue  ser tudo isso, ser essa fortaleza a qual  tento me espelhar   todos os dias!
                                                    Ah, qualquer pessoa poderia estar aqui, seria mais fácil, seria mais óbvio, mas não!   Contrariando as leis da auto preservação da  sobrevivência , seria a última da cadeia de seres humanos que poderia se expor aos níveis de radiação a qual estou emitindo. Com todas as medidas de segurança ela se arriscou a ficar três dias na minha casa que não é nem um pouco grande, para ficar perto de mim, muitas vezes rompendo a barreira de 1,5m de segurança para me entregar um copo de água e me fazer comer seu "arroz jasmim" ( com frango quinoa  e cenoura). Para isso não há preço, não há ouro, diamante nem nenhuma riqueza  a ser paga  na face dessa terra.
                                                    Temos nossos momentos comédia quase o tempo todo. Quando falei para ela que eu ficaria em casa sozinha em isolamento ela disse que não. Bateu o pé e pronto! Eu disse: - Tudo bem! se tiver que acontecer alguma coisa com você vai ser só daqui uns dois anos mesmo..... OPS! (mandei muito mal)
                                                    Mônica é bem descolada e eu tenho minhas coisinhas de "marca", para durar mais e não ter que repor por alguns anos  (quando eu estava podendo comprar né rs). Ela não esquenta com essas coisas e nem se liga.  Fiquei olhando ela desfilando com o cabelo preso em casa com meu pincel de maquiagem mais barato da MAC de cento e vinte reais como se fosse um grampo de cabelo que a caixa  custa dois reais kkkkkkkk. Falei para ela com cuidado. Riu muito e ainda ficou debochando  da minha cara.... essa é minha irmã!   Mas gasta quase quinhentos reais em seus lindos cabelos, vê se pode!
                                                     Já nos ajudamos muito nessa vida. Eu faria o mesmo que ela faz por mim, e que ninguém tenha  dúvidas. Adoro ver filmes com ela, comentar, parar de ver, dar pausa, falar de outras coisas e ao mesmo tempo decidirmos que o filme é uma porcaria e vamos ver outro.  Ela adora comer bobagens e eu sou meio zen. Ela ama livros eu também.  Ela adora programas de culinária, eu aprendi a gostar . Ela ama os noticiários de várias emissoras que passam mais notícias de São Paulo que do Rio e eu detesto kkkkk (disso ela não sabe, mas vai ficar sabendo agora). Ela  é capaz de passar horas falando se seu trabalho e eu adoro ouvir.  Ela  é psicóloga e eu policial. Tínhamos a visão diferente das pessoas. Aprendi a entender mais sobre o ser humano, a prendi a me tornar uma pessoa melhor. Aliás, estou aprendendo a cada dia.
                                                    Eu poderia escrever um livro sobre ela, mas decidimos um dia escrevermos as duas juntas sobre nós. Hoje em homenagem a essa pessoa mais do que especial da minha vida, aproveitei que ela foi para casa e estou muito melhor para fazer essa pequena homenagem. Aproveitei para colocar um vestido que ela deixou aqui e usar os seus óculos de grau para senti-la de uma outra forma. Sentir seu cheiro, sua essência que não tem perfume no mundo que ela possa usar e eu  possa traduzir.
                                                    Como te amo Mônica Jeronimo 
                                                  

quarta-feira, 20 de abril de 2016

22 - Em casa

                                                 




                                                                       Cheguei em casa me sentindo cansada, só querendo dormir. Era quinta feira. Minha vizinha Sandra abriu a porta e me olhou de longe conforme instruções prévias. Eu só queria ficar em paz. Mônica chegaria no dia seguinte à tarde. Tomei um banho e fui para a cama. Nada comi pelo terceiro dia. Nem pensar. Achei que ia para parar no soro, mas pensei: qual médico vai me tocar estando radioativa? Melhor ficar no meu canto e tentar dormir. Foi o que fiz. No intervalo bebia água e vomitava. A água me fazia vomitar. Queria acordar e ver minha irmã perto de mim. Acabei adormecendo no chão geladinho do banheiro e por lá fiquei por mais de uma hora.
                                                                        Levantei e os olhos estavam ainda pesados. tomei  outro banho e fiquei na cama virando de um lado para o outro. Minha noite não foi melhor do que no hospital. Eu era obrigada a beber muita água para poder expelir pela urina a radiação aos poucos. Só assim eu me sentiria melhor. Passando mal a noite toda, dormindo, acordando, levantando, urinando, dando cinco descargas no vaso sanitário, lavando as mãos, secando, retornando ao quarto, deitando, virando para lá para cá, bebendo água........ Nossa! Misericórdia! E os pesadelos no meio disso tudo?
                                                                      Nesse momento quero relatar que o que aconteceu comigo foi a minha experiência. Não tenho a pretensão de dizer que todas as pessoas passaram ou passarão por isso. Não sou parâmetro para ninguém. Não quero deixar ninguém apavorado com o que estou descrevendo. Repito que  ouço e leio relatos de muita gente  que diz que não sentiu absolutamente nada!  Que coisa boa! Mas comigo não foi assim. De modo algum! E com você que vai passar pela iodoterapia também não será. Ouça os médicos, evitem fazer o que eles falarem. Se falam é porque tem experiência suficiente para ver os efeitos colaterais e te sinalizam. Alguns pacientes são sugestionáveis. Eu  sou muito positiva e fui na certeza que ia ficar ótima, mas .......
                                                                       Voltando de onde parei, depois daquela odisseia interminável de horrores , a manhã chegou  junto com  o quarto dia e o quadro mudou um pouco . A dor de cabeça diminuiu mas não cessou, os enjoos foram cessando também, mas não o suficiente para que eu fizesse uma refeição. Comi um pedaço de maçã mas  ela  "voltou". A boca ressecada , saliva grossa, paladar ainda alterado. Sandra minha vizinha mandou um zap e eu apertei os olhos para ler. Perguntou se eu queria um macarrão aos quatro queijos. rs.  Corri para o banheiro.
                                                                      Outro  banho e  Mônica chegou. fui para o  quarto na certeza que eu estava "salva". dormi praticamente o resto do dia e a noite inteira novamente, mas dessa vez sabendo que ela estava ali. Do outro lado da parede, na sala,  quietinha, pronta para qualquer coisa que eu precisasse.  Preparada para tudo. Me senti em paz.